terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Parafilia: Muito Além da Perversão - Parte IV



Como são muitas as parafilias, não tem como citar todas aqui , senão essa série teria 800 partes. Mas nesta última parte apresentarei um Pequeno Dicionário de Parafilias .

Obviamente não estarão aqui aquelas que citei nas outras partes. Vamos a elas:

Acrotomofilia: preferência por pessoas que tenham alguma parte de seus corpos amputada, pois a excitação é proporcionada justamente pela falta daquela parte. Quando a excitação acontece quando um membro do próprio corpo é amputado, chama-se apotemnofilia ou amelotatista.

Andromimetofilia: o homem que sofre de andromimetofilia prefere transar com mulheres que representem e se relacionem sexualmente como se fossem homens.

Autoasesinofilia: é a excitação relacionada à possibilidade de encenar ou manejar uma morte masoquista de si mesmo por assassinato.

Clismafilia: refere-se à excitação erótica provocada pela injeção de alguma substância no reto, geralmente água ou solução medicamentosa.

Crematistofilia: o indivíduo se excita quando é obrigado a pagar ou então é roubado por sua parceira sexual.

Efebofilia: atração por parceiros púberes ou adolescentes.

Emetofilia: É a excitação obtida com o ato de vomitar ou com o vomito de outro. Também conhecido como “banho romano” a prática pode se estender para um outro tipo de parafilia denominada “Emetofagia” nesse caso a excitação é obtida através do ato de comer ou ingerir vômito, o que geralmente é recíproco de ambos os parceiros dessa prática.

Erotofonofilia: quando o sujeito se excita com a possibilidade de matar o companheiro, sendo a morte o seu momento de orgasmo.

Escatofilia: é quando a pessoa precisa ter conversas íntimas com pessoas conhecidas ou desconhecidas, com um linguajar vulgar. Tambem conhecida como telefonescaptofilia.

Estigmatofilia: atração por parceiros que tenham tatuagens, cicatrizes ou perfurações no corpo com finalidade de uso de jóias de ouro, principalmente na região genital.

Formicofilia
: consiste na excitação através do contato com pequenos animais, tais como caracóis, rãs, formigas e outros insetos que deslizam, arrastam-se ou mordam os genitais, a região do períneo e os mamilos.

Gerontofil
ia: atração sexual por parceiros muito mais velhos (com a idade de seus pais ou avós, por exemplo)

Ginemimetofilia
: parecido com a andromimetofilia. Mas nesse caso, a preferência é por homens que se relacionem eroticamente como mulheres.

Hibristofilia: é a atração por criminosos perigosos, que tenham cometido crimes como violação, assassinato ou roubo armado.

Hifefilia: é quando a pessoa fica excitada por meio do toque ou roçar na pele de materiais que sejam utilizados nas áreas eróticas do corpo, tais como pelo, couro e tecido.

Hipofilia: Esse não precisa de muitas explicações, é o desejo sexual por cavalos ou éguas, pode-se dizer que é uma "ramificação" da zoofilia.

Kleptolagnia: é a gratificação erótica provocada pelo roubo. Quando o roubo é na casa de um desconhecido ou parceiro em potencial, pode ser chamado de Kleptofilia.

Menofilia: é quando existe a excitação por mulheres menstruadas, a Hemotigolagnia também faz parte dessa parafilia, pois é o desejo sexual por absorventes femininos.

Misofilia: cheirar, mastigar ou realizar outra ação com roupas sujas, suadas ou com artigos de higiene menstrual é o que deixa o misófilo excitado.

Morfofilia: atração sexual por parceiros que possuam uma ou mais características particularizadas no corpo.

Narratofilia: A pessoa só obtem excitação se contar histórias eróticas ao parceiro, principalmente aquelas consideradas sujas, pornográficas ou obcenas.

Normofilia: por incrível que pareça, ser certinho demais também pode ser considerado um parafílico. A normofilia é a excitação através da plena concordância com os padrões sociais, religiosos e legais.

Oculophilia: é a atração sexual pelos olhos. os que possuem esta condição se excitam contemplando, tocando, beijando, lambendo ou até mesmo gozando dentro deles.

Odaxelagnia: Erotização obtida ao sofrer mordidas, ou por infringi-las. Provavelmente, toda a tradição do vampirismo, imortalizada pelo célebre personagem Drácula do escritor Bram Stoker, se inscreva dentro desta Parafilia.

Olfatofilia: é a excitação a partir de odores das diferentes partes do corpo, principalmente os órgãos genitais.

Pictofilia: excitação obtida através da visualização de fotografias, imagens ou vídeos de atividades pornográficas ou obscenas, na presença do parceiro.

Pirofilia: Atração sexual pelo fogo, seja vendo-o, queimando diferentes objetos, ou o próprio corpo, ou o corpo de outra pessoa.

Podofilia: é um tipo particular de fetiche cujo desejo se concentra nos pés. No Brasil, um fetichista de pés é normalmente reconhecido pela expressão podólatra.

Simforofilia: A excitação advém da possibilidade de ocorrência de um desastre, como um acidente de trânsito, por exemplo, e observação de suas consequências.

Somnofilia: o indivíduo só consegue se excitar quando acorda um desconhecido fazendo-lhe carícias eróticas, até mesmo o sexo oral, mas sem que seja preciso o emprego da força ou violência.

Trampling: É um fetiche que consiste no ato de um indivíduo ser pisado por uma ou mais pessoas, normalmente do sexo oposto, sendo mais comum uma mulher pisando num homem.

Travestismo: são pessoas que só conseguem ter prazer se tratados como o sexo oposto. Na maioria das vezes, homens que se vestem como mulheres. Ps: não são homossexuais.

Zoofilia: praticar sexo com animais ou assistir momentos de cópula é o que dá prazer ao praticante da zoofilia. Pode parecer estranho, mas isso acontece em regiões rurais. Normalmente, a prática desaparece quando a pessoa inicia um relacionamento com humanos.

Zoonecrofilia: Junte os dois mais bizarros fetiches necrofilia e Zoofilia . Essa é a "Necrozoofilia" ou "Zoonecrofilia" que é a atração sexual por cadáveres de animais. Essa parafilia não consiste em prazer sexual somente com relações sexuais, mas também no ato de matar animais.


O importante a se frisar , é que o fato de ter praticado ocasionalmente algum ato desta série não que dizer que você seja adepto a parafilia X ou Y, mas sim o fato de se excitar constantemente com certo tipo .

Bem, espero que tenham gostado desta série . The End !

Fontes: Psiq Web , Wikipédia , Super Interessante ,

Gambiarras em Geral , ABC da Saúde, Mood , Sexualidade e Vida ,

Filhote de Pombo, Lista 10 , Ciudadanos de r'lyeh ,

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Transexualidade é uma Opção ?



A sociedade carrega vários tabus . Não a dionisíaca ,claro!

Mas um Top certamente é em relação a transexualidade.

Tudo ligado a ela vem embutido um preconceito .

Diferente do homosexualismo, o transexual ou travesti não tem a opção de se esconder, é uma condição que tem que se dar a cara a tapa e infelizmente sofrer as consequências.

Se você está em um bar com um gay , em nada ira afetar o julgamento das pessoas para você. Muito diferente de um travesti, que o simples fato de estar ao seu lado ira atrair toda atenção e olhares de repudio possíveis.

Digo isso porque o simples fato de eu participar de uma comunidade no orkut chamada "eu defendo e apoio as travestis" já me consideram que eu tenho relações com elas.

Será que se eu participase de uma comunidade "eu defendo e apoio as girafas", seria um zoófilo?

Só para deixar claro logo no inicio, irei me referir a transexuais e travestis no sexo feminino e como Tran-Trav .

Cerca de 90% dos travestis/transexuais trabalham como prostitutas. Ou seja, não tem como não relacionar uma coisa a outra.

Entre as consequências, essa certamente deve ser a mais dolorosa para uma Tran-Trav. Imagine que seu leque de opções para ganhar a vida não passe de 1 carta.

Bem, elas não precisam nem imaginar, pois esse é o baralho delas (eu disse baralho!).

É vergonhoso . Outro dia passou um programa na globo chamado Profissão Repórter que se infiltrava no mundo da Prostituição (onde mais Tran-Trav entraria na pauta?) e mostrava em parte dela a vida das travestis da lapa.

Viviam em um casarão caindo aos pedaços , usavam silicone industrial no peito e hormônios de procedência duvidosa.

Vou tentar entrar dentro da cabeça de uma Tran-Trav e irei rebater meus próprios questionamentos.

- Bem, por que eu fui parar na prostituição?
Porque as empresas não me contrataram.

- Por que elas não me contrataram?
Porque o governo não mexe a bunda sobre esta questão , as empresas acham que irá sujar sua imagem, porque eu não tenho estudo.

- Por que o governo não se mexe? Por que as empresas acham que irei manchar sua imagem? Por que eu não tenho estudo?
Porque para uma ação do governo é preciso que se aprovem leis no congresso por pessoas que em boa parte participam de alguma ordem religiosa que me repudia ou por pessoas que adoram transar comigo mas odeiam falar.

As empresas tentam seguir um modelo que seja um padrão moral para a familia, sendo que esse padrão só existe homem e mulher que nasceram assim.

Não tenho estudo porque quando era criança já mostrava sinais de feminilidade e as crianças me batiam e praticavam todos os tipos de Bullying com a conivência de professores e diretores.

-Por que...

É um iceberg monstruoso de questionamentos, onde a ponta é o preconceito !

Agora eu lhe pergunto: Se uma pessoa se dispõe a abalar toda sua vida para viver do jeito que ela acha que é o certo. Ela está fingindo para si mesmo?

É uma masoquista em tempo integral?

Em resumo, elas abrem a mão de uma 'vida decente' para viver do jeito que é certo para elas.

E ai, continua achando transexualidade uma opção?

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Parafilia: Muito Além da Perversão - Parte III

http://3.bp.blogspot.com/_boQCIFVXRmg/TP2mN8xcixI/AAAAAAAAAds/Js0iJVkTLuM/s1600/fora%2Bda%2Blei.png
Depois de mostrar as práticas exóticas e as práticas comuns da parafilia, agora é a terceira parte da série que trata da parte sombria da busca pelo prazer sexual.

Nesta parte, a obsessão sexual é doentia. Pratica-las muito provavelmente irá te levar à cadeia.

A diferença dessas parafilias para as outras , é o simples fato de só um lado s
entir prazer.

Conheça um pouco sobre essas práticas:

Dacrilagnia
é uma forma de atração sexual em que o desejo da pessoa é despertado pelas lágrimas ou choro de outra.

Dacrifilia, como também é chamada, está principalmente associada aos homens e abrange todas as formas de prazer com as lágrimas dos outros.

Normalmente é considerado uma forma de sadismo se essas lágrimas forem causadas por tortura física ou psicológica. A excitação é conseguida quando uma pessoa é vista em sofrimento emocional ou é induzida a chorar ou mostrar uma forte emoção.

Isso difere da prática habitual de choro durante a relação sexual, uma vez que essa parafilia envolve o desejo pelo sofrimento real alheio ou coração partido ao invés de choro falso.

Muitos estupradores certamente procuram por esse tipo de prazer.

Asfixiofilia é a restrição intencional de oxigênio para o cérebro para a excitação sexual.

Históricamente, a prática de asfixia auto-erótica tem sido documentada desde o século 17. Foi usada pela primeira vez como um tratamento para a disfunção eréctil. A idéia para isso provavelmente veio de indivíduos que foram executados por enforcamento.

Observadores em enforcamentos públicos registraram que as vítimas do sexo masculino tinham ereção durante o enforcamento e, ocasionalmente, ejaculavam. Note-se que, no entanto, a ejaculação ocorre em suspensão após a morte das vítimas por causa do relaxamento muscular, o que é um mecanismo diferente do que procurou por profissionais asfixia auto-erótica.

Extremamente perigosa de fazer, você pode matar a pessoa em pouco tempo, portanto jamais tentem fazer isso. Estima-se que só nos Estados Unidos entre 500 a mil pessoas morram acidentalmente por ano vítimas desta prática.

Li em uma revista que os japonesês ,que adoram esse tipo de prática, pagam uma pequena fortuna para satisfazer seus desejos com prostitutas que se propõem a isso. Mas no caso, elas é ficam com a cabeça enfiada em uma banheira enquanto o cliente faz seu "serviço".

Necrofilia é a atração sexual caracterizada pela excitação decorrente da visão ou do contato com um cadáver.

Já se associou muito necrofilia aos góticos que gostam de passar a noite no cemitério.

No começo dos anos 2000 lembro que teve um caso no Paraná que fizeram uma caça as bruxas em cima deles pelo estupro de alguns cadavers que estavam sendo exumados e estuprados.

Mas depois descobriu-se que foi o coveiro. Se não me engano isso passou no Programa do Ratinho, então qualquer sensacionalismo barato sobre o caso não pode ser descartado.

Pedofilia é a atração sexual por crianças pré-púbere (geralmente com 13 anos ou menos). O indivíduo com Pedofilia deve ter 16 anos ou mais e ser pelo menos 5 anos mais velho que a criança. Para indivíduos com Pedofilia no final da adolescência, não se especifica uma diferença etária precisa, cabendo exercer o julgamento clínico, pois é preciso levar em conta tanto a maturidade sexual da criança quanto a diferença de idade.

Os indivíduos com Pedofilia geralmente relatam uma atração por crianças de uma determinada faixa etária. Os indivíduos que sentem atração pelo sexo feminino geralmente preferem crianças de 10 anos, enquanto aqueles atraídos por meninos preferem, habitualmente, crianças um pouco mais velhas. A Pedofilia com meninas é relatada com maior freqüência do que com meninos.

Os indivíduos com Pedofilia que atuam segundo seus anseios podem limitar sua atividade a despir e observar a criança, exibir-se, masturbar-se na presença dela, ou tocá-la e afagá-la. Outros, entretanto, realizam felação ou cunilíngua ou penetram a vagina, boca ou ânus da criança com seus dedos, objetos estranhos ou pênis, utilizando variados graus de força para tal. Essas atividades são geralmente explicadas com desculpas ou racionalizações de que possuem "valor educativo" para a criança, de que esta obtém "prazer sexual" com os atos praticados, ou de que a criança foi "sexualmente provocante" — temas comuns também na pornografia pedófila.

Alguns indivíduos com Pedofilia ameaçam a criança para evitar a revelação de seus atos. Outros, particularmente aqueles que vitimam crianças com freqüência, desenvolvem técnicas complicadas para obterem acesso às crianças, que podem incluir a obtenção da confiança da mãe, casar-se com uma mulher que tenha uma criança atraente, traficar crianças com outros indivíduos com Pedofilia ou, em casos raros, adotar crianças de países não-industrializados ou raptar crianças.

O transtorno geralmente começa na adolescência, embora alguns indivíduos com Pedofilia relatem não terem sentido atração por crianças até a meia-idade. A freqüência do comportamento pedófilo costuma flutuar de acordo com o estresse psicossocial. O curso em geral é crônico, especialmente nos indivíduos atraídos por meninos. A taxa de recidiva para indivíduos com Pedofilia envolvendo uma preferência pelo sexo masculino é aproximadamente o dobro daquela para a preferência pelo sexo feminino.

Bem, agora só falta a parte IV para completar a série. Irei fazer um resumo de dezenas de outras parafilias que não foram faladas até agora. Até quarta !